“As novas placas possibilitarão mais segurança, evitando clonagens e falsificações”, diz Baldy ao jornal O Popular

Em entrevista ao Jornal O Popular, o ministro das Cidades, Alexandre Baldy, falou sobre a importância do lançamento das placas padrão do Mercosul. Todas elas terão QR Code e há previsão, também, de se adotar chip. A troca não será obrigatória para todos os veículos.

Quem quiser trocar a placa voluntariamente ou realizar operações que envolverem novas placas já receberá o modelo Mercosul. As operações são: emplacamento de carros zero quilômetro, transferências de propriedade, de jurisdição e de município, além de alteração de categoria de direção.

“Isso possibilitará vários itens de segurança a serem agregados, como o código QR Code e a marca d’água, para evitar falsificações e clonagem”, destaca. A unificação dos modelos de placas facilitará a circulação, mas também oferecerá mais opções para as forças de segurança fiscalizarem os veículos”, declarou o ministro.

Baldy também explicou que a rastreabilidade e a averiguação nos sistemas de monitoramento das cidades e rodovias através de câmeras e scanners poderão ser realizadas com mais facilidade e que a inserção dos brasões dos Estados e municípios nas placas foi solicitação de entidades de segurança pública viária, como Polícia Rodoviária Federal (PRF) e Batalhões Rodoviários da Polícia Militar (PM).

O ministro ainda esclareceu que, em um curto prazo, também haverá a inserção de um chip neste modelo de placa que passa a ser utilizado. “Com isso, o veículo poderá ser rastreado por satélite ou sistemas de acordo com a tecnologia adotada pela força de segurança local”, reforça. Além disto, um acordo de transporte com a França (pela Guiana Francesa) permite que os dois países como partes contratantes da Convenção de Viena possam passar, agora, a adotar um padrão de placas semelhantes.

Para Baldy, os outros países do Mercosul, como Paraguai, devem realizar a mudança, o que pode facilitar a fiscalização dos veículos que já cruzam as fronteiras diariamente, especialmente no Norte e no Sul do País.

“No Mercosul, o Brasil representa aproximadamente 80% da frota, com 97 milhões de veículos automotores. São centenas de milhares de veículos que entram no País na alta temporada todos os dias, assim como milhares saem. A placa terá a identificação com o carro, o que também será possível ser rastreado no caso de clonagem ou fraude. Buscando diminuir bruscamente o número de veículos levados para desmanches, inclusive fora do Brasil”, ressaltou.